Você conhece seus Sabotadores Mentais?

Você conhece seus Sabotadores Mentais?

Freepik

Por que quase todas as resoluções de fim de ano são deixadas de lado? porque se volta aos velhos hábitos após workshops, palestras ou livros inspiradores? A resposta é a sabotagem. Na semana passada, mostramos que para sair da zona de conforto precisamos passar pela zona do medo. A dificuldade de passar por essa zona está no fato de que ela é a moradia de nossos sabotadores mentais.

A Inteligência Positiva é uma teoria elaborada por Shirzad Chamine, Bacharel em Psicologia e doutor em Neurociência, CEO do CTI – COACHES TRAINING INSTITUTE, responsável pelo treinamento de coaches e gerentes da maior parte das quinhentas maiores empresas da revista Fortune, assim como docentes das faculdades de Administração de Stanford e Yale.

Segundo esta teoria, nós temos a capacidade de usar nossa mente contra nós mesmos ou a nosso favor. Quanto maior o nosso QP (Quociente de Inteligência Positiva), maior o percentual de tempo que nossa mente age em nosso benefício. O QP está diretamente relacionado à ação de nossos sabotadores mentais.  Durante a infância, todos nós desenvolvemos dez tipos de sabotadores mentais para que pudéssemos enfrentar as dificuldades do nosso crescimento emocional.

O problema é que carregamos esses personagens dentro de nós até a idade adulta, o que traz inúmeros problemas. Muitos de nossos piores comportamentos e reações negativas decorrem dos sabotadores. O principal sabotador é o Crítico pois afeta todas as pessoas de forma igual, ou seja, todos nós possuímos um crítico interno que nos leva constantemente a encontrar defeitos em nós  mesmos, nos outros e nas condições ou circunstâncias à nossa volta e gera a maior parte de nossa ansiedade, estresse, raiva, decepção, vergonha e culpa.

Para identificar o seu sabotador cúmplice (que age junto com o seu Crítico), você precisa entender qual é a motivação primária de suas necessidades emocionais e qual o estilo que você usa para atender a esses necessidades.

Existem 3 motivações primárias para as nossas necessidades de sobrevivência emocional:

  • Independência – necessidade de limites em relação aos outros e de manter independência deles;
  • Aceitação – necessidade de manter uma imagem positiva aos olhos dos outros, de ser aceito por eles e conquistar a afeição deles;
  • Segurança – necessidade de controlar as ansiedades da vida e afastá-las ou minimizá-las.

Cada um adota um estilo para lidar com sua motivação primária. Existem 3 estilos diferentes:

  • Afirmar – toma atitudes que exigem a realização da sua necessidade principal seja de independência, aceitação ou segurança;
  • Conquistar –  conquista a realização da sua necessidade principal;
  • Evitar – se afasta ou afasta a atenção das atividades, pensamentos e sentimentos ou de outras pessoas para realizar sua necessidade principal.

Com base no que foi dito até aqui, como você identifica sua motivação e seu estilo? Veja no quadro abaixo e depois verifique qual é o seu sabotador cúmplice e  sua respectiva definição.

 
Fonte: Inteligência Positiva – Shirzad Chamine

Insistente – é a necessidade de perfeição, ordem e organização levada longe demais. Ele deixa você e os outros ao seu redor ansiosos e nervosos.

Prestativo – obriga você a tentar ganhar a aceitação e afeição ao ajudar, agradar, salvar ou elogiar os outros constantemente. O resultado é que ele faz com que você perca de vista suas próprias necessidades.

Hiper-Realizador – deixa você dependente de desempenho e realizações constantes para ter respeito e validação próprios. Ele mantém você concentrado principalmente no sucesso exterior em vez de no critério interior para felicidade.

Vítima – quer que você se sinta emotivo e temperamental como forma de ganhar atenção e afeto. Ela resulta em um foco extremo em sentimentos internos, principalmente os dolorosos, e pode muitas vezes resultar em uma tendência a se martirizar.

Hiper-Racional – coloca um foco intenso e exclusivo no processo racional de tudo, incluindo relacionamentos. Ele faz com que você seja impaciente com as emoções das pessoas e as vejas como indignas de muito tempo e consideração. Você pode ser visto como frio, distante ou intelectualmente arrogante.

Hipervigilante – faz você sentir ansiedade intensa e contínua em relação a todos os perigos que cercam você e em relação a tudo o que poderia dar errado. Ele fica constantemente em estado de alerta e nunca pode descansar.

Inquieto – está constantemente em busca de emoções maiores na próxima atividade ou mantendo-se sempre ocupado. Ele não permite que você sinta muita paz ou alegria com sua atividade atual. Faz você perder o foco nas coisas e nos relacionamentos que realmente importam.

Controlador – funciona movido a uma necessidade ansiosa de estar no comando, controlar situações e dirigir as ações das pessoas de acordo com a vontade dele. Geral alta ansiedade e impaciência quando isso não é possível.

Esquivo – evita tarefas difíceis e desagradáveis e conflitos. Leva você aos hábitos de procrastinar e fugir de conflitos, provoca atrasos na conclusão das coisas.

É bem possível que você se identifique com mais de um sabotador pois, como foi dito, temos os dez. Porém, o quadro ajuda a identificar qual o sabotador que mais frequentemente atua junto com o seu crítico.

Na próxima semana mostraremos como você pode neutralizar seus sabotadores.

 

 

Mônica Cavalcanti
Mônica Cavalcanti
Sou formada em Psicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Pós Graduada em Gestão Estratégica de RH pela Universidade Estácio de Sá atuando há mais de dez anos em cargo de gestão na Área de RH em empresas de médio e grande porte do varejo, indústria e de serviços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *