Para evoluir abandone zona de conforto.

Para evoluir abandone zona de conforto.

Muitas pessoas estão nesse momento diante de um impasse no que diz respeito ao seu crescimento e desenvolvimento pessoal. Já se deram conta de que precisam evoluir pois sentem-se estagnadas e sem energia, não se sentem mais felizes como e onde estão. Por outro lado, não conseguem ter coragem suficiente para tomar a decisão de se transformar, estão sempre transitando entre a zona de conforto e o medo de mudar.

De fato, a zona de conforto sempre nos acompanha, de um modo ou de outro. Ela representa o que é seguro, aquilo com o qual já estamos familiarizados. Por isso, inevitavelmente ela aparece em nossas vidas tão logo uma mudança deixe de ser algo novo.

Sempre que mudamos de emprego, por exemplo, a zona de conforto se instala depois de um período. As pessoas, as atividades, a cultura, as normas da nova empresa, entram para o rol daquilo que é seguro e familiar. Nada de errado nisso, afinal vivemos de ciclos e sempre que algo novo começa ele percorre um tempo até deixar de ser novidade.

Porém quando essa zona de conforto, seja na esfera familiar, num relacionamento, na vida profissional, não importa, fica pequena pra nós e não nos oferece mais desafios, sentimos a necessidade de mudar, seja porque o mundo à nossa volta mudou e nos convida a fazer o mesmo, seja porque nos sentimos sem ânimo ou porque não enxergamos mais sentido ou propósito em como estamos conduzindo a nossa vida.

A questão é que sair da zona de conforto para a zona da aprendizagem requer coragem pois precisamos atravessar a zona do medo. Nela moram nossas crenças limitantes que nos fazem acreditar que não podemos mudar, nos deixam afetar pela opinião alheia e temos medo da mudança, do novo, do desconhecido. É lá que pensamentos como: “vai ser muito difícil”, “é muito caro”, “não tenho tempo”, “nunca vou conseguir”, “a situação está difícil”, surgem e nos sabotam. São todas essas justificativas que nos fazem ficar onde estamos.

Queremos ir para a zona da aprendizagem onde podemos lidar com novos desafios e problemas, vemos oportunidades, podemos desenvolver novas habilidades, o que amplia a nossa zona de conforto, ou seja, torna o desconhecido familiar e seguro.

Para que possamos seguir em direção ao nosso crescimento, aos nossos desejos, objetivos, sonhos, metas e alcancemos a superação, primeiro precisamos nos conhecer. Sem a clareza do que somos, do que queremos e do que somos capazes, não teremos as armas corretas para atravessar a zona sombria do medo. Você não vai acabar com ele pois o medo é importante, nos faz aprender. O problema é quando nos deixamos paralisar por ele.

Sugiro que você comece escrevendo numa folha o que te incomoda hoje em você, na sua vida pessoal/ profissional e que você gostaria de mudar.  Escreva também no que você é bom, que valores você possui, o que faz você ser quem você é. Escreva também aquilo pelo qual você se orgulha e que não mudaria de jeito nenhum.

Depois procure vencer os pensamentos negativos e sabotadores que surgirem em relação à mudança que você quer fazer. Desafie-se com perguntas simples mas  poderosas. Quando pensar que vai ser muito difícil pergunte-se: como posso fazer ficar mais fácil? Do que eu preciso pra que fique mais fácil? Quando pensar que é muito caro ou que não tem tempo, pergunte-se: do que posso abrir mão pra ter mais tempo ou mais recursos? Que hábitos posso mudar?  Se a situação está difícil e você acha que nunca vai conseguir pergunte-se: que alternativas eu tenho? Quem eu conheço que pode me ajudar? Com quem posso me associar para vencer as dificuldades?

Terceiro: com base na resposta para suas perguntas procure elaborar que ações você vai executar para conseguir mudar o que quer. Estabeleça prazo, recursos que irá precisar (dinheiro, conhecimento, habilidades, ajuda de alguém) e como irá realizar o que definiu. Tudo na vida, pra ser bem feito e com bons resultados, precisa de esforço e dedicação.

Então tome a sua decisão e comece a jornada em direção à sua zona de aprendizagem. Ao alcançá-la estará mais perto de seus objetivos e do crescimento desejado.

Mônica Cavalcanti
Mônica Cavalcanti
Sou formada em Psicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Pós Graduada em Gestão Estratégica de RH pela Universidade Estácio de Sá atuando há mais de dez anos em cargo de gestão na Área de RH em empresas de médio e grande porte do varejo, indústria e de serviços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *